Skip navigation

A preservação do ambiente torna-se uma acção mais importante a cada dia que passa, uma vez que as acções do Homem estão a levar o planeta para o seu limite cada vez mais depressa. Para evitar que não só as gerações vindouras, mas também esta geração, sofram com a poluição e exploração excessiva dos recursos, a necessidade de agir coloca-se à frente de cada ser humano.

Assim, deixo aqui alguns conselhos úteis para preservar o ambiente:

1 – Reduzir ao máximo o consumo de produtos desnecessários, como alimentos embalados em materiais não recicláveis, substituindo-os por alimentos semelhantes em embalagens recicláveis ou biodegradáveis.

2 – Sempre que possível, reutilizar produtos que possam ser úteis no dia a dia, como por exemplo sacos de plástico, uma vez que ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, grande parte dos sacos de plástico espalhados por esse mundo fora não são recicláveis, pelo que acabam por contaminar o ambiente e matar seres vivos, por exemplo por asfixia após a ingestão dos sacos que são confundidos com alimentos por muitos animais.

3 – Quando já foram realizadas as acções anteriores, colocar os materiais recicláveis nos ecopontos, por forma a que possam ser utilizados como matéria-prima para muitas indústrias.

4 – Arranjar um recipiente para a compostagem de detritos orgânicos, que permite criar adubo natural, que pode ser usado em vasos de plantas, jardins entre outros. Além disso, o recipiente de compostagem pode ser adaptado para aquecer água para uso habitacional ou sistemas de aquecimento que usem radiadores, podendo ainda ser adaptado para produzir energia eléctrica. O gás libertado durante o processo de compostagem, pode ainda ser utilizado para uso na cozinha ou para servirem de combustível para veículos adaptados para o efeito.

5 – Juntamente com o processo de compostagem, também se pode criar um pequeno quintal com alimentos consumidos no dia a dia, por forma a diminuir a necessidade de comprar alimentos e permitir a utilização do adubo da compostagem. Quem não tem um quintal, pode criar uma pequena produção alimentar num local bem iluminado durante o dia e no qual ninguém durma de noite, uma vez que as plantas consomem oxigénio de noite, podendo deixar sem ar alguém que se encontre numa divisão fechada. Varandas e marquises podem facilmente ser adaptadas para o efeito, mas na prática qualquer divisão interior com acesso a luz solar pode ser convertida numa produção biológica, o que pode reduzir imenso as despesas mensais em comida, apesar do maior ou menor investimento inicial.

6 – Para poupar os recursos alimentares, podemos consumir só animais que provenham de explorações sustentáveis, algo que se aplica principalmente aos alimentos provenientes de peixes, cujas populações naturais diminuem a um ritmo alarmante. Nos alimentos vegetais devemos preferir os produzidos biologicamente, especialmente os que forem nacionais e até da região onde se vive, pois isso incentiva os produtores locais a produzirem maiores quantidades, tornando os alimentos mais baratos. Quanto aos animais terrestres, convém escolher carne dos animais cuja exploração pecuária produz menos impacto ambiental, ou pelo menos, aqueles que têm produtos secundários poluentes que estejam a ser aproveitados de forma ecológica, como as fezes de vacas e porcos que estão a ser usadas para produzir adubos e combustíveis menos poluentes que os produtos petrolíferos, como forma de compensar o facto de quase 20% das emissões gasosas que provocam o efeito de estufa provirem de produções pecuárias, especialmente as dos animais referidos.

7 – Sempre que as finanças permitam, devemos tentar adquirir sistemas de produção eléctrica ecológica e auto-suficiente, uma vez que comprar mini-aerogeradores ou painéis fotovoltaicos, apesar de caro, faz com que muitos possam deixar de pagar à empresa que fornece a energia eléctrica, podendo até lucrar algum dinheiro com a energia em excesso que é vendida para uso da rede eléctrica geral.

Em breve, serão colocados mais conselhos no blogue para preservar o ambiente.

Obrigado a todos os leitores deste blog por permitirem que este momento chegasse. Tentarei melhorar o blog para o manter actualizado e interessante.

Cumprimentos,

Daniel Saramanho

Para pensar em ambiente e ecologia:

Um mundo que pretendemos manter verde

Introdução

Este trabalho pretende explorar a área do pensamento e da memória e questionar a responsabilidade pelo futuro que compete à humanidade.

Desde a Antiguidade Clássica que muitos homens se perguntam qual a nossa responsabilidade para com tudo o que irá acontecer no futuro e com todos os que irão viver no futuro. Este é um grande problema porque alguns pensam que só se deve ter em consideração o presente, enquanto outros são da opinião de que as gerações futuras têm tanto direito àquilo de que nós podemos desfrutar no presente como todos nós. Um bom exemplo destas duas situações é a do caso de um senhor poderoso que acumula recursos que quer que se mantenham apenas uma possessão sua, enquanto o pobre camponês trabalha o máximo que pode para que os seus filhos tenham melhor qualidade de vida do que alguma vez poderia ter. Neste interessante caso, nota-se que a evolução da vida é muito diferente: o senhor poderoso é cada vez mais rico, mas, no entanto sente que lhe falta sempre mais qualquer coisa, o que o deixa cada vez mais infeliz, enquanto o pobre parece ter cada vez menos porque partilha tudo com os filhos, sem no entanto, sentir a falta de nada, sentindo-se completamente realizado. Um dia, quando o senhor poderoso adoece e começa a parecer cada vez mais moribundo, este chama à sua presença o camponês e pergunta-lhe o seguinte: o que te faz ser tão feliz, quando nada de grande possuis? Como te podes sentir realizado sem riquezas e possessões? A isto o camponês responde: para os simples homens a riqueza encontra-se não nas possessões materiais, mas sim no facto de podermos ver os nossos filhos crescer e ensiná-los a serem sempre humildes para que também os seus filhos possam crescer num mundo com alegria e beleza. Sabendo, assim, a resposta àquilo que o atormentava, o senhor morreu com uma face alegre, pois também ele havia visto os filhos crescer, apesar da sua preocupação constante com a fortuna.

E assim, os problemas com o incerto futuro começam a tentar obter respostas.

Read More »

Todos sabemos que as grandes superfícies comerciais pretendem roubar cada vez mais dinheiro aos seus clientes, mas nunca somos avisados de forma honesta desse roubo.
No entanto, na publicidade de um hipermercado ocorreu um erro tipográfico que revelou toda esta roubalheira. Ora vejamos:

Como é óbvio a rede de hipermercados não desejava que os clientes tivessem conhecimento que a sua promoção era do género “Leve 3 e pague 4”, mas como foi isso que foi impresso, aqui fica um interessante motivo de riso.

Em Portugal os preços dos combustíveis estão a sofrer constantes aumentos apenas devido à ganância das empresas que têm licença para venderem produtos petrolíferos.
A pior de todas estas empresas é a Galp, uma vez que é ela que abastece de combustível a maioria dos postos de abastecimento em Portugal. Para manter esta supremacia a Galp tem cometido diversas infracções à lei, inclusive a proibição de vendas de outras empresas aos postos nacionais, para que pudesse manter o controlo sobre toda a compra e venda de combustíveis em Portugal.
Além disso, a Galp aumenta os preços dos combustíveis petrolíferos a seu belo prazer, aumentando quando sobe o preço do petróleo, porque este subiu e aumentando o preço quando o preço do petróleo desce, porque diz que as vendas de combustíveis estão atrasadas três meses relativamente à compra do Petróleo. Este tipo de abusos de poder, juntamente com a grande quantidade de combustível que a Galp anda a armazenar para uso posterior, demonstram que a Galp pretende dominar Portugal através da simples venda de produtos petrolíferos.

A energia solar é considerada uma das energia renováveis do futuro, até porque embora o seu potencial de utilização seja enorme, a nossa tecnologia ainda nos deixa aquém das expectativas dos cientistas mais inovadores.
Existem várias formas de transformar a energia solar em energia eléctrica, mas a mais conhecida pelo público é de o uso de painéis foto-voltaicos. Estes painéis absorvem a radiação solar incidente, pelo que a sua eficiência é algo reduzida, por nenhum material ser capaz de absorver e converter de modo eficaz a energia solar em energia eléctrica.
Outro método consiste em usar espelhos curvos parabólicos que reflectem a luz solar para um foco, que neste caso é um tubo com óleo que aquece até temperaturas de centenas de graus Celsius, óleo esse que posteriormente vai aquecer água até esta vaporizar. O vapor de água vai depois mover uma turbina, gerando assim energia através de um processo térmico, como em qualquer central de carvão, mas sem o problema da emissão de gases de efeito de estufa.
Além destes métodos, existe um diferente, em que espelhos rectilíneos são dispostos à volta de uma torre, que tem uma região que absorve os raios de luz concentrados e aquece um óleo de modo semelhante às centrais com painéis parabólicos, produzindo igualmente energia através de processos térmicos.

Os combustíveis fósseis estão a esgotar-se, isto é algo que está comprovado pelos diversos estudos internacionais que comprovam que as reservas de todos os combustíveis fósseis iram desaparecer em apenas algumas décadas. Isto irá levar aquilo que se pode chamar uma “guerra do petróleo”, que pode não chegar a recorrer a armas, mas irá por os países uns contra os outros, os produtores a defenderem o pouco que restar e os restantes países a lutar para verem quem consegue o recurso tão necessário na actualidade.

A melhor solução seria recorrer a outros tipos de produção de energia e de fabrico de produtos que precisam de petróleo, passando pela redução do uso de veículos privados, entre outras coisas, que permitissem diminuir o consumo energético. A reciclagem ajuda também a evitar o consumo desnecessário de petróleo que é usado na produção de plásticos e produtos afins, permitindo assim poupar energia, pois é mais fácil reciclar que produzir um novo produto.

petroleoA crise económica pela qual todo o mundo tem passado ultimamente, tem diminuído o consumo de todo o tipo de produtos, o que levou a uma diminuição do lixo produzido.

Assim, a crise tem contribuído para uma ligeira diminuição do impacto da população humana neste planeta.

Mas onde nos levará esta crise que ameaça aumentar ainda mais o custo de vida e, além disso, ameaça aumentar o preço dos combustíveis, algo que em Portugal já não é novidade, mas se a gasolina, o gasóleo e restantes combustíveis continuarem a ficar cada vez mais caros, em breve o país não poderá suportar os custos, uma vez que não temos petróleo a ser extraído em Portugal, pelo que poderemos perder algumas indústrias e alguns serviços, pois, por exemplo, sem combustível os camiões não podem abastecer as lojas com produtos mais ou menos frescos, o que acabará por provocar uma ruptura dos stocks e poderá piorar ainda mais esta crise.

Aqui esperamos que o pior não se verifique…

Aqui poderão ver uma apresentação sobre síntese proteica.

Tradução do RNA

View SlideShare presentation or Upload your own.
História do DNA

View SlideShare presentation or Upload your own.